Cientistas detectam matéria além do universo visível

Aglomerados de galáxias parecem estar sendo atraídos por matéria empurrada para além do limite visível

da Redação,

23 de setembro de 2008 | 16h16

Usando dados da Sonda Wilkinson de Anisotropia de Microondas (Wmap), da Nasa, cientistas identificaram um movimento inesperado em aglomerados distantes de galáxias. A causa, sugerem, é a atração gravitacional exercida por matéria localizada além do limite do universo visível.   "Os aglomerados mostram uma velocidade pequena, mas mensurável, que é independente  da expansão do universo e não muda  com o aumento da distância", diz o principal pesquisador, Alexander Kashlinsky, do Centro de Vôo Espacial Goddard, da Nasa. "Nunca esperamos encontrar algo assim".   Kashlinsky refere-se a esse movimento coletivo do "fluxo escuro", na mesma veia dos mistérios cosmológicos "matéria escura" e "energia escura". "A distribuição de matéria no universo observado não pode explicar esse movimento", ele disse.   O aglomerado de galáxias 1E 0657-56, também conhecido como Aglomerado Bala, está a 3,8 bilhões de anos luz e é um de centenas que parecem estar sendo carregados pelo fluxo escuro.    Usando um catálogo de aglomerados e os dados do Wmap sobre o pano de fundo cósmico de microondas, os astrônomos detectaram um movimento em massa dos aglomerados a quase 3 milhões de quilômetros por hora. Eles se dirigem para um trecho de céu de 20º de extensão, entre as constelações de Centauro e Vela.   Além disso, o movimento é constante até uma distância de pelo menos um bilhão de anos-luz. "Como o fluxo se estende até tão longe, ele provavelmente se estende por todo o universo visível", diz Kashlinsky.   Modelos do Big Bang que incluem uma característica chamada inflação oferecem uma possível explicação para o fluxo. A inflação teria sido uma breve super-expansão no início da história do universo. Se a inflação realmente ocorreu, então só é possível enxergar uma pequena porção do universo total.   Kashlinsky e sua equipe sugerem que os aglomerados estão reagindo à atração gravitacional de matéria que foi empurrada para além da parte observável do universo pela inflação.   O resultado será publicado na edição de 20 de outubro do Astrophysical Journal Letters.

Tudo o que sabemos sobre:
cosmologiabig bangenergia escura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.