Cientistas duvidam do bebê clonado de Antinori

Vários cientistas manifestaram nesta quarta-feira seu ceticismo a respeito do nascimento de um bebê clonado em janeiro, anunciado nesta terça-feira pelo ginecologista italiano Severino Antinori. "É possível, mas estou muito cética em relação a isso", disse a professora Anne McLaren, do Instituto do Fundo Wellcome do Reino Unido para a Investigação do Câncer, na Universidade de Cambridge.Especialistas em clonagem duvidam que Antinori e seus colegas tenham experiência para clonar seres humanos. O italiano, aliás, não deu detalhes sobre como foi a clonagem, sobre os pais do bebê ou o país em que foi realizada. "Esperaremos e analisaremos os resultados dos exames de DNA se esse bebê nascer. Espero que não tenha anomalias", comentou Anne.Na Cidade do Vaticano, Gino Concetti, um de seus principais teólogos, que escreve no jornal L?Osservatore Romano, considerou a possibilidade de clonagem humana uma ofensa a Deus e também demonstrou ceticismo a respeito do bebê clonado: "Ele (Antinori) tem só hipóteses e não apresentou provas. Se for verdade, então a Igreja condena isso, pois a clonagem como método de procriação contradiz o princípio bíblico da procriação por meio do casamento."Em meio à agitação causada pelo italiano, novo anúncio de nascimento de clonados foi feito nesta quarta-feira pela cientista francesa Brigitte Boisselier, "bispo" da seita raeliana. "Temos cinco gestações em curso e logo nascerá o primeiro bebê, uma menina", disse Brigitte em Las Vegas, onde preside a empresa Clonaid, de clonagem humana.Ela afirmou que os bebês nascerão de dois casais americanos, dois asiáticos e um europeu. A seita incentiva a clonagem como forma de a humanidade alcançar a vida eterna.

Agencia Estado,

27 de novembro de 2002 | 22h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.