Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Cientistas eliminam fator cancerígeno de célula-tronco

Os pesquisadores que descobriramcomo produzir células-tronco a partir de células cutâneascomuns disseram na sexta-feira que encontraram uma forma deeliminar um ingrediente cancerígeno da fórmula --ainda quetornando-a menos eficaz. Shinya Yamanaka, da Universidade de Kyoto (Japão) disse quea descoberta, publicada na revista Nature Biotechnology,demonstra que o avanço das células-tronco, por mais excitanteque seja, está longe de ser utilizável em humanos. Neste mês, as equipes lideradas por Yamanaka e por JamesThomson, da Universidade de Wisconsin (Madison, EUA) anunciaramseparadamente o uso de quatro genes para transformarfibroblastos (um tipo de célula cutânea) em células-troncopluripotentes induzidas --ou células iPS. Essas células têm pelo menos parte das propriedades dascélulas-tronco embrionárias, mas sem precisar empregar apolêmica tecnologia de clonagem. Com a nova descoberta, é possível que no futuro as pessoaspossam usar suas próprias células para regenerar órgãos etecidos. A equipe de Yamanaka, em colaboração com o InstitutoGladstone de Doenças Cardiovasculares, de San Francisco, usougenes diferentes dos da equipe de Thomson. Um dos quatro genes presentes no coquetel de Yamanaka era oc-Myc1. Eles cultivaram ratos com as novas células, mas depoisdescobriram que os animais ficavam propensos a tumores. Então resolveram deixar a c-Myc1 de fora. Funcionou, mas sócom metade da eficácia. "Os ratos derivados das células iPS não-Myc nãodesenvolveram tumores durante o período de estudo", escreveram."Futuros estudos são necessários para determinar se esses ratosdesenvolvem tumores mais tarde. Além disso, geramos células iPShumanas de fibroblastos dérmicos adultos sem Myc." Ambas as equipes dizem ainda estar aperfeiçoando a receitaque faz o relógio das células cutâneas retroagir, de modo queelas se comportam como embriões humanos com poucos dias de vida--com apenas oito células, por exemplo, cada uma capaz de darorigem a qualquer órgão ou tecido. A equipe de Yamanaka disse ser possível que os outros trêsgenes usados --chamados Oct3/4, Sox2 e Klf4-- possam de algumaforma ativar o Myc naturalmente encontrado nas célulascutâneas. A nova técnica agradou políticos que se opõem às pesquisascom embriões-humanos, por considerá-las antiéticas. Mas amaioria dos cientistas considera importante manter as pesquisascom todos os tipos de células-tronco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.