ESA/Reuters
ESA/Reuters

Cientistas encontram glaciares sob superfície de Marte

Informações recolhidas por satélites revelam que planeta tem 150 bilhões de metros cúbicos de água congelada em duas faixas

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

09 Abril 2015 | 10h50

Atualizada às 22h14
Marte tem milhares de glaciares enterrados sob sua superfície - água congelada em quantidade suficiente para cobrir o planeta com uma capa de gelo de 1,1 metro, segundo um grupo internacional de cientistas. Um estudo, publicado nesta quinta-feira, 9, na revista científica Geophysical Research Letter, indica que os glaciares estão em duas faixas nas latitudes centrais dos Hemisférios Norte e Sul do planeta vermelho. 
A informação de radar, recolhida pelos satélites que orbitam o planeta, combinada com modelos de computadores de fluxos de gelo, mostra que Marte tem 150 bilhões de metros cúbicos de água congelada. A quantidade de água nos glaciares marcianos, no entanto, é pequena se comparada à água congelada na Terra. “O gelo nas latitudes médias é, portanto, uma parte importante das reservas de água de Marte”, disse a pesquisadora Nanna Bjornholt Karlsson, do Instituto Neils Bohr da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

A existência de glaciares em Marte foi confirmada pela primeira vez em 2008 e, no ano passado, cientistas do Bryn Mawr College (Estados Unidos) e da Freie Universität, em Berlim (Alemanha), encontraram evidências minerológicas de sua existência em uma área conhecida como Valles Marineris. Cientistas ainda têm tentado descobrir como Marte se transformou de um planeta úmido e supostamente semelhante à Terra, nos primeiros estágios após sua formação, no deserto frio e seco atual. 
Bilhões de anos atrás, Marte, que não tem um campo magnético protetor global, perdeu grande parte de atmosfera. A pressão ali é tão baixa que a água congelada simplesmente evapora. Os cientistas suspeitam que os glaciares permaneceram intactos - em vez de evaporar, perdendo-se no espaço - porque estão protegidos sob uma grossa capa de poeira. 
Há vários projetos de pesquisa dedicados a determinar a quantidade de água que desapareceu do planeta ao longo desse processo - e também quanta água continua existindo na forma de gelo nas reservas subterrâneas. Além da evidência de leitos de rios, córregos e minerais, os cientistas que estudavam reveladoras moléculas na atmosfera de Marte no mês passado concluíram que o planeta provavelmente já tem um oceano de mais de 1,5 quilômetro de profundidade que cobria quase a metade do Hemisfério Norte. 
Medição. Marte perdeu 87% dessa água, segundo os cientistas. Atualmente, a maior reserva conhecida de água do planeta está nas capas polares. “Nós estudamos medições de radares feitas no planeta ao longo de dez anos, para descobrir o quão espesso é esse gelo e como ele se comporta. Um glaciar é, afinal de contas, um grande pedaço de gelo que flui e toma formas que nos dão pistas sobre a estrutura. Nós comparamos esses resultados com o comportamento e formação dos glaciares encontrados na Terra”, explicou Karlsson. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
Marte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.