AFP PHOTO / Okayama University of Science an / HO
AFP PHOTO / Okayama University of Science an / HO

Cientistas encontram pegada gigante de dinossauro em deserto da Mongólia

Marca, de 106 centímetros de comprimento e 77 de largura, pode ter sido deixada por um Titanossauro

O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2016 | 16h16

Uma equipe de especialistas mongóis e japoneses descobriu no Deserto de Gobi (Mongólia) uma das maiores pegadas de dinossauro do mundo, com 106 centímetros de comprimento e 77 de largura, que acredita-se que tenha sido deixada por um Titanossauro, informou nesta sexta-feira, 30, a agência oficial Montsame.

A pegada foi achada em 21 de agosto por paleontólogos da universidade japonesa de Okayama e da Academia Mongol de Ciências, embora a descoberta só tenha sido anunciada nesta sexta, dia em que foi confirmada sua autenticidade e a espécie à qual pertenceu.

A pegada, na qual era possível ver a forma da planta do pé e as garras, foi encontrada em uma camada geológica de entre 70 e 90 milhões de anos, afirmou a agência mongol.

O animal, de cerca de 30 metros de comprimento e 20 de altura, possivelmente deixou a pegada de uma de suas patas esquerdas em um solo que depois, com a desertificação da zona, ficou recheado de areia, ajudando sua conservação.

O Titanossauro era um gigantesco animal de longo pescoço, herbívoro, que habitou no período Cretáceo.

"É uma descoberta muito especial, já que trata-se de uma pegada fossilizada muito bem conservada, de mais de um metro de comprimento e sinais das garras", afirmou um comunicado da Universidade de Ciências de Okayama./ EFE

Mais conteúdo sobre:
Mongólia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.