Cientistas encontram pegadas fósseis de 395 milhões de anos

Os rastros apresentam pegadas muito claras de patas anteriores e posteriores dos primeiros animais de 4 patas

EFE,

06 Janeiro 2010 | 19h03

Uma equipe de paleontólogos descobriu nas montanhas da Polônia as pegadas fossilizadas de tetrápodes mais antigas já encontradas. Segundo a equipe dirigida por Per Ahlberg, da Universidade de Uppsala (Suécia), as pegadas datam de 395 milhões de anos atrás, 18 milhões antes das mais antigas conhecidas até então.

 

Ahlberg e seus colegas descrevem na revista Nature as marcas deixadas por esses animais de quatro patas, assim como várias pegadas isoladas de até 26 centímetros de largura que indicam animais de 2,5 metros de comprimento.

 

Os rastros apresentam pegadas muito claras de patas anteriores e posteriores, e indicam que os tetrápodes em questão não arrastavam o corpo.

 

Mapeamento a laser da pegada, com reconstituições do pé do animal. Per Ahlberg et al./Reprodução

 

A descoberta ocorreu nas montanhas da Santa Cruz, no sudeste da Polônia, e referem-se ao período Devoniano Médio.

 

Tinha-se conhecimento de que os tetrápodes evoluíram dos peixes e, passando por uma fase intermediária, dos elpistostege, tinham cabeça e corpo de tetrápodes, mas conservavam muitas características dos peixes, como pares de nadadeiras em vez de mãos e pés.

 

Mas as pegadas agora descobertas são dez anos mais antigas que os fósseis de elpistostege mais velhos encontrados até hoje.

 

A nova descoberta parece indicar, segundo os cientistas, que os elpistostege de que se tem conhecimento são restos de espécies sobreviventes, e não correspondem a uma etapa de transição.

 

Segundo os paleontólogos, isso mostra como ainda se sabe pouco da história paleontológica dos vertebrados terrestres.

Mais conteúdo sobre:
paleontologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.