Cientistas identificam mecanismo da hipertensão

Pesquisadores do Hospital Virgem del Rocío de Sevilha identificaram o processo pelo qual a diminuição de oxigênio no sangue aumenta o risco de hipertensão. Segundo Javier Navarro Antolín, coordenador do estudo, a chave está num gene que regula o mecanismo de extração e fixação do potássio.Já se sabia que um fator de risco da hipertensão arterial era o baixo nível de oxigenação do sangue - como no caso das pessoas que sofrem de apnéia do sono -, e que são as células da parede dos vasos sanguíneos que causam seu estreitamento nestas circunstâncias. Faltava descobrir como ocorre esse processo.No estudo, publicado na revista Circulation, Antolín e sua equipe afirmam que o gene é o disparador de um mecanismo complexo, iniciado na produção de uma proteína que, por sua vez, regula o funcionamento do canal que extrai potássio do interior da célula e o fixa.Baixos índices de oxigênio no sangue produzem uma mudança no gene, da quantidade de seu RNA mensageiro, da proteína e da quantidade de potássio que sai da célula. A diminuição da saída de potássio do interior destas células provoca uma contração dos vasos e o posterior aumento da tensão arterial.O estudo foi feito com células musculares de artérias mamárias que sobraram de cirurgias para colocação de ponte de safena. Estas células foram mantidas vivas em uma incubadora, com muito pouco oxigênio, e os pesquisadores comprovaram que elas não morrem, mas iniciam uma "surpreendente adaptação".Isso demonstra, segundo Antolín, que elas "sabem" que precisam modificar sua formação genética.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2005 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.