Cientistas identificam sinais de vulcão ativo na Antártida

Segundo os pesquisadores que detectaram as cinzas, última erupção teria ocorrido há 2 mil anos

Da BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2008 | 09h00

Cientistas britânicos identificaram uma camada de cinzas sob o gelo da Antártida e sugerem que a descoberta pode ser a primeira prova de uma erupção vulcânica subglacial. O relato, dos pesquisadores Hugh Corr e David Vaughan, da British Antarctic Survey (BAS, na sigla em inglês), foi publicado na edição desta semana da revista científica Nature Geoscience. Com a ajuda de radares, os cientistas identificaram uma camada de cinza vulcânica que teria sido depositada na superfície de gelo e depois enterrada pela neve no que hoje seriam as Montanhas Hudson. As cinzas se estendem por uma área maior que o País de Gales (20.779 km²). No centro da área coberta pelo gelo, os cientistas identificaram uma rocha de um quilômetro de altura do formato de uma montanha. Segundo os pesquisadores, pela espessura do gelo encontrado acima da camada, o vulcão, localizado na Antártida Ocidental, teria entrado em erupção há 2 mil anos e continua ativo. "A descoberta de uma erupção vulcânica 'subglacial' já seria única, mas nossas tecnologias nos permitem identificar quando ocorreu e determinar a força da erupção", disse Hugh Corr, principal autor do estudo. "Acreditamos que esta foi a maior erupção na Antártida nos últimos 10 mil anos. Ela produziu um buraco considerável na camada de gelo e gerou uma nuvem de gás e cinzas que se elevou no ar por cerca de 12 quilômetros", afirmou. Aquecimento As Montanhas Hudson estão localizadas na Geleira de Pine Island, em uma das geleiras da Antártida Ocidental, cujo deslocamento em direção à costa foi acelerado nas últimas décadas. Para David Vaughan, "o calor do vulcão pode ter contribuído para esta aceleração, pois produz calor e poderia estar derretendo o gelo", afirmou. Apesar disso, os cientistas alertam que apenas o calor do vulcão não explicaria a diminuição das geleiras da Antártida Ocidental que contribuem para o aumento no nível do mar em 0,2 milímetros por ano. Segundo os pesquisadores da BAS, o derretimento das geleiras pode estar sendo causado pelo aquecimento dos oceanos.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.