Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Cientistas iniciam projeto de US$ 100 milhões contra a fome

Cientistas de diversas partes do mundo lançaram um projeto de dez anos e US$ 100 milhões com o objetivo de produzir lavouras mais nutritivas de milho, feijão e mandioca, numa batalha contra a fome e a desnutrição que matam por volta de 1,8 milhão de pessoas na África todo ano. A iniciativa, que envolve agentes públicos e privados, foi batizada de HarvestPlus e é encabeçada pelo Consultative Group on International Agriculture Research, uma entidade criada há 30 anos e que congrega 8.500 cientistas.A Fundação Bill e Melinda Gates fornecerá US$ 25 milhões dos US$ 47 milhões já prometidos por doadores internacionais para o primeiro estágio do programa, que deverá custar US$ 50 milhões. O projeto enfatizará o conteúdo de vitaminas de alimentos comumente usados na África, Ásia e América Latina. Cientistas da Nigéria e de outras nações, incluindo Colômbia, Gana, Peru, México e Filipinas, trabalharão com técnicas tradicionais de agricultura para aumentar o valor nutritivo de alimentos muito usados em seus países, como arroz, trigo, milho, mandioca, batata doce e feijão. Se a agricultura tradicional falhar, os cientistas analisarão o uso de modificações genéticas.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2003 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.