Cientistas lançam 2º feixe no acelerador, em sentido contrário

Primeira tentativa é bem sucedida, mas cientistas ainda não devem provocar a colisão de partículas

Efe,

10 de setembro de 2008 | 09h31

Depois da tentativa bem sucedida de colocar um feixe de milhões de prótons no acelerador Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o mais potente do mundo, do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), cientistas lançaram um segundo feixe. O segundo experimento começou às 7h30 desta quarta-feira, 10, e foi lançado em sentido contrário ao primeiro. Os cientistas conseguiram fazer com que as partículas do primeiro feixe dessem uma volta completa no enorme túnel circular de 27 quilômetros em cerca de uma hora.   O segundo foi lançado em direção anti-horária. "Se conseguirmos que este segundo feixe faça um círculo completo no sentido contrário, teremos conseguido mais do que tínhamos previsto para o dia de hoje", declarou a física espanhola Teresa Rodrigo, que trabalha no experimento CMS do acelerador, um dos quatro detectores gigantes do LHC, situado na fronteira entre Suíça e França.   Veja também: Entenda o LHC Entra em funcionamento colisor de partículas na Suíça Experiência do LHC depende de rede mundial de computadores  Estudo reafirma que acelerador de partículas LHC é seguro  Cientistas criam rap para explicar o Grande Colisor de Hádrons  Terminam os últimos testes do Grande Colisor de Hádrons  Acelerador de partículas será testado em setembro  LHC não vai destruir a Terra, conclui relatório de segurança  Cientistas querem proibir simulação do 'Big Bang'   Site do Cern  Site do LHC Grid  Animação que explica como o LHC Grid funciona  Vídeo do Cern explica o LHC em três minutos (em inglês)   Galeria com imagens do LHC      A princípio, o objetivo para esta quarta era conseguir que os prótons circulassem de maneira estável pelo acelerador, o mais potente já construído, a uma velocidade muito menor da que terão nos próximos meses, quando a máquina funcionar a "pleno vapor". Além disso, os cientistas devem tentar uma colisão frontal de partículas.   A física espanhola afirmou que, após ter circulado ao longo de todo o túnel do acelerador, o primeiro feixe de prótons já foi extraído da máquina. O sucesso da primeira prova do funcionamento do LHC, após conseguir que o primeiro feixe desse uma volta completa, foi recebido com aplausos pelas dezenas de cientistas presentes na sala de controle do organismo.   "Hoje é um dia histórico. Pela primeira vez se conseguiu que, em uma hora, o acelerador aceitasse as partículas e estas circulassem", disse, em entrevista coletiva, o diretor-geral do CERN, Robert Aymar, após o sucesso do primeiro lançamento.   Mesmo que o feixe em sentido anti-horário consiga dar uma volta completa, nesta quarta não haverá colisões de partículas nem serão recriadas as condições do Big Bang, já que não haverá lançamentos simultâneos nas duas direções nem se chegou ainda à velocidade próxima a da luz.

Tudo o que sabemos sobre:
LHCCernfísica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.