Cientistas levam 5 prêmios da Fundação Conrad Wessel

"Quando me ligaram dizendo que tinha ganhado um prêmio de R$ 100 mil, pensei que era trote." Essa foi a reação do pesquisador Jairo Vidal Vieira, da Embrapa Hortaliças, ao saber que era um dos seis ganhadores do Prêmio Fundação Conrad Wessel (FCW), anunciado publicamente nesta quinta-feira em São Paulo. Cada um levou R$ 100 mil líquidos. Cinco atuam na área de ciência (Dieter Carl Ernst Heino Muehe, Carlos Henrique Brito Cruz, Inês Schmidt, Jairo Vidal Vieira, Philip Martin Fearnside) e uma na de literatura (Lya Luft).Criado a partir do testamento do empresário Ubaldo Conrado Wessel, morto em 1993, o prêmio começou a ser dado no ano passado e contemplou as áreas de fotografia publicitária, literatura e ciências. "Tínhamos pensado um outro modelo, mas o custo estrutural era muito alto, maior até que os próprios prêmios", disse Américo Fialdini Jr., presidente da FCW.A forma encontrada foi criar uma novo formato, chamado carinhosamente por Fialdini de "Nobel Brasileiro". "Queremos valorizar o trabalho de pesquisadores que estão no Brasil e cujo trabalho se reverta em benefícios para o País. Brasileiros trabalhando no exterior não entram", afirma. O prêmio pegou Vieira completamente desarmado. "Põe surpresa nisso. Não tinha nem idéia de que existia a FCW.", comenta. "Quanto ao dinheiro, só acredito quando estiver na conta."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.