Cientistas obtêm primeira sequência de genoma de anfíbio

O genoma do sapo contém ainda genes similares a pelo menos 1.700 genes humanos associados

estadao.com.br

29 Abril 2010 | 15h00

Uma equipe de cientistas dos Estados Unidos publica, nesta semana, a primeira sequência de genoma de um animal anfíbio, o sapo africano Xenopus tropicalis, preenchendo uma lacuna na sequência dos genomas conhecidos de animais vertebrados.

 

"Muitos bichos peludos já foram sequêbciados, mas muito poucos outros vertebrados", disse um dos autores do trabalho, Richard Harland, da Universidade da Califórnia em Berkekey. "Ter um catálogo completo dos genes do Xenopus, juntamente com o dos humanos, ratos, camundongos e frangos ajudará a montar uma lista completa de genes ancestrais dos vertebrados".

 

Girino de X. tropicalis, o primeiro sapo a ter o genoma sequenciado. Science/AAAS/Divulgação

 

A sequência também será útil para os cientistas que usam outro sapo da mesma família, o Xenopus laevis, para estudar desenvolvimento embrionário. "O Xenopus está entre os últimos organismos-modelo a ser sequenciado", depois do camundongo, frango, verme nematoide, peixe-zebra  e mosca drosófila", disse ele.

 

Harland e outros 47 cientistas publicam o rascunho do genoma do sapo e uma análise da sequência na edição desta semana da revista Science.

 

O genoma do sapo contém ainda genes similares a pelo menos 1.700 genes humanos associados a doenças. A compreensão do funcionamento desses genes poderá ajudar no estudo das moléstias, dizem os cientistas. O X. tropicalis possui mais de 20.000 genes. Os seres humanos têm cerca de 23.000.

Mais conteúdo sobre:
genoma science anfíbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.