Cientistas pesquisam robô flexível para cirurgia 'sem corte de pele'

Equipe de Londres diz que i-Snake poderá 'revolucionar' a cirurgia de laparoscopia.

BBC Brasil, BBC

29 de dezembro de 2007 | 09h29

Uma equipe de cientistas em Londres está desenvolvendo um robô flexível que poderá permitir a realização de procedimentos complexos sem ter que cortar a pele do paciente.A equipe, que trabalha no Imperial College, recebeu recursos da ordem de US$ 4 milhões para construir e testar um robô cirúrgico chamado "i-Snake". Ele será aparelhado com sensores, motores e equipamento para registrar imagens e poderá ser usado em operações complexas no coração e intestinos.O i-Snake também poderá ser utilizado para diagnósticos, atuando como mãos e olhos do cirurgião em áreas de difícil acesso dentro do organismo.Ara Darzi, um dos cirurgiões que chefiam o projeto, disse: "O equipamento técnico que temos atualmente é muito grande e incômodo e nos permite realizar cirurgia de keyhole (ou de laparoscopia) através de quatro ou cinco incisões diferentes, enquanto através do robô i-Snake não teremos nem que fazer uma incisão - conseguiremos acesso à área através da boca ou qualquer orifício natural."Os testes estão previstos para dentro de três anos.Cirurgias minimamente invasivas apresentam vantagens como menor área de cicatrização, menor tempo de hospitalização e recuperação mais rápida. Cirurgiões buscam formas de evitar totalmente incisões.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
i-snakecirurgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.