Cientistas podem ter descoberto cura de diabete

Pesquisadores desenvolvem células produtoras de insulina. Mas o estudo ainda é preliminar e a técnica ainda precisa ser testada em pacientesUm grupo de cientistas espanhóis e alemães pode ter descoberto a cura da diabete, segundo informa a agência Efe. Os pesquisadores conseguiram transformar células sanguíneas em hepáticas e pancreáticas, capazes de inibir a doença.Bernat Soria, que dirigiu o estudo, pediu cautela na divulgação dos resultados, uma vez o estudo é preliminar e a confirmação de cura só poderá ser feita daqui a três ou quatro anos. A técnica ainda terá de ser testada em pacientes.No experimento, os pesquisadores trataram células sanguíneas da série branca mononucleares - monócitos - com uma substância chamada citoquina. Os monócitos perderam suas características e se tornam mais versáteis, até se transformarem em células hepáticas e pancreáticas, capazes de produzir insulina.Segundo a Efe, Soria deu uma entrevista coletiva nesta quinta-feira em Granada, no sul da Espanha, antes de apresentar o estudo no 27.º Congresso Mundial sobre Medicina Interna.Apesar de os resultados terem sido apresentados há uma semana no Congresso Mundial de Transplantes, só nesta quinta o pesquisador aceitou falar à imprensa. Ele teme "levantar falsas expectativas entre os doentes de diabete".Segundo o pesquisador, a estratégia de modificar células foi aprendida com células-tronco embrionárias.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2004 | 14h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.