Cientistas produzem anticorpos que bloqueiam vírus HIV

Pesquisadores franceses conseguiram produzir, in vitro, anticorpos capazes de bloquear o vírus da aids, trazendo novas esperanças para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença. A experiência, publicada nesta terça-feira na revista especializada Immunology, foi realizada pelas equipes de Ara Hovanessian, do Centro Nacional de Pesquisa Científica - Instituto Pasteur, de Paris, e de Sylviane Muller, do Centro Nacional de Pesquisa Científica de Estrasburgo, no nordeste da França.Um dos desafios dessa procura é induzir a produção de anticorpos neutralizadores para inibir a infecção de novas células e, assim, diminuir a carga viral e o número de células infectadas. Os anticorpos fabricados por coelhos bloqueiam, em proveta, a invasão de glóbulos brancos, que defendem o organismo (os linfócitos T CD4), pelas várias cepas do vírus da aids mais disseminado no planeta: o HIV-1. É a primeira vez que anticorpos dirigidos contra uma proteína que cobre o HIV-1 reagem às diversas cepas testadas, segundo os cientistas.Os coelhos foram imunizados com um soro sintético semelhante a uma proteína que envolve o vírus. Nos testes in vitro, esse soro mostrou-se capaz não só de inibir a infecção dos linfócitos pelo vírus da aids pertencente aos diversos subtipos virais como de perturbar a reprodução do vírus, levando à ?produção de vírus defeituosos, incapazes de infectar outras células?, diz o estudo.A idéia é injetar o soro sintético em pessoas sadias ou portadoras do HIV para que comecem a fabricar anticorpos, neutralizando o vírus. Assim, esse soro poderia entrar na composição de vacinas experimentais com fins preventivos ou terapêuticos para os soropositivos.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2004 | 20h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.