Cientistas querem recriar o genoma do neandertal

Cientistas alemães e americanos lançaram um projeto para reconstruir o genoma do Neandertal, divulgou o Instituto Max-Planck de Antropologia Evolucionária, nesta quarta-feira. O projeto, que consiste em isolar geneticamente fragmentos retirados de fósseis dos seres pré-históricos, está sendo desenvolvido em Leipzig, Alemanha. "O projeto é muito novo assim como está bem no começo", disse Sandra Jacob, porta-voz do instituto.O geneticista americano Edward Rubin, do Laboratório Nacional de Berkeley, EUA, também participa da reconstrução. Em entrevista ao semanário alemão Die Zeit, Rubin disse que a pesquisa tem uma importância muito maior do que apenas mais uma espetacular mostra de capacidade científica: "Primeiramente, aprenderemos muito sobre os neandertais. Depois, aprenderemos muito sobre as particularidades dos seres humanos. Por fim, isso é simplesmente gratificante", considerou.Os neandertais foram sucedidos pelos seres humanos modernos na Europa há apenas cerca de 30 ou 40 mil anos.

Agencia Estado,

06 de julho de 2005 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.