Cientistas revertem doença degenerativa avançada

Pesquisadores da Espanha demonstraram em ratos a possibilidade de reverter a doença neurodegenerativa de Huntington quando ela já está em estágioAvançado. O estudo analisou o progresso da doença em suas fases avançadas,quando já começou a perda de neurônios, informou o Conselho Superiorde Pesquisas Científicas (CSIC).O coordenador do projeto, José Javier Lucas, do CSIC, lembra que"ainda se está muito longe de levar a técnica à prática clínica", mas afirma que a descoberta "permite que esta via de estudo se coloque como uma solução real".A doença de Huntington, transmitida de forma hereditária, gerauma progressiva deterioração cognitiva e motora que acaba com amorte do doente devido à rigidez muscular e a complicaçõesrespiratórias ou a uma parada cardíaca.O CSIC explica que, por ser uma doença estritamente genética,provocada pela alteração de um único gene, uma das possíveisestratégias terapêuticas para o futuro consiste exatamente nadesativação do gene responsável pela doença."Após cinco meses com o gene apagado, comprovou-se que o déficitmotor se reverteu totalmente nos ratos afetados e que o progresso daperda neuronial era menor que a dos ratos que mantinham ativo o generesponsável", disse Lucas.Além de Lucas, que trabalha no Centro espanhol de BiologiaMolecular Severo Ochoa, pesquisadores das Universidades de Barcelonae da Autônoma de Madri colaboraram com este projeto. As conclusões foram publicadas na revista The Journal of Neuroscience.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2005 | 15h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.