Cientistas russos encontram petróleo no fundo do lago Baical

Descoberta foi feita durante exploração com batiscafos no lago mais profundo do mundo

Efe

07 de agosto de 2008 | 15h54

Os batiscafos (espécie de submarino) russos Mir-1 e Mir-2 encontraram petróleo no fundo do lago siberiano Baical, cujas reservas energéticas nunca puderam ser estimadas devido à grande profundidade em que se encontram, informaram nesta quinta-feira, 7, fontes da expedição. Veja também: Batiscafos russos exploram o fundo do lago Baical Tempestade não impedirá expedição russa no lago Baical Rússia alcança leito de lago mais profundo do mundo "Ontem à noite a operação foi um êxito total. Os batiscafos localizaram exatamente o ponto no qual o petróleo chega à superfície", declarou Mikhail Grachov, especialista da Academia de Ciências da Rússia citado pela agência Interfax. Grachov afirmou que os submarinos ainda não puderam obter imagens da fonte petrolífera, mas o farão em próximas imersões. "Nesta região a água é, por assim dizer, uma chaleira em plena ebulição", declarou. Os cientistas que viajam nas Mir tomaram inúmeras mostras de microorganismos, que vivem nas profundezas do Baical, e que não vivem no sol, mas no petróleo. "Ninguém conhece o mecanismo de formação do petróleo. A investigação no Baical poderia fazer progredir a ciência, para que possamos buscar petróleo de forma mais racional", declarou. Grachov estima em quatro as toneladas de petróleo que são obtidas nas profundezas do Baical, que tem a quinta maior reserva de água doce do mundo. Por outro lado, a expedição procura determinar com exatidão a profundidade do lago, detectar possíveis fontes subterrâneas de processos termais e obter dados tectônicos, já que o lago experimenta cerca de dois mil sismos anuais de baixa intensidade. Segundo os cientistas, o lago poderia conter gases como o metano, que por efeito do aquecimento global poderiam ser liberados para a atmosfera, o que aumentaria perigosamente a temperatura de nosso planeta. Com uma superfície de 31.500 quilômetros quadrados, 636 quilômetros de comprimento e 23.400 quilômetros cúbicos de água, o Baical supera amplamente o volume conjunto de água dos cinco Grandes Lagos dos Estados Unidos e do Canadá.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciapetróleorússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.