Cientistas temem evolução do vírus da gripe do frango

Especialistas de vários países alertaram que a gripe do frango está longe de ser controlada e temem uma evolução do vírus para formas mais perigosas ao homem. Reunidos por dois dias em Paris, eles pediram investimentos de pelo menos US$ 100 milhões para o combate à doença nos países afetados."É menos dinheiro que o que os países ricos destinam a mecanismos de fronteira para impedir o contágio de seus territórios. Achamos que é mais eficaz e barato lutar contra a doença nos locais de origem que tentar evitar sua propagação", afirmou diretor geral do Escritório Internacional de Epizootias (OIE), Bernard Vallat, um dos organizadores do encontro.A maior preocupação dos cientistas é com a possibilidade de o vírus da gripe do frango evoluir em meio a falhas no combate à sua forma atual. "O risco não está no contágio da doença ao homem, cuja taxa de mortalidade achamos que é limitada, mas que o vírus evolua e transforme-se em uma doença humana", disse Vallat."O vírus segue circulando na região e origina novos casos entre os homens e entre os animais, tanto em países já afetados como em outros novos", advertiu ele. A Coréia do Norte acaba de se confirmar como o sétimo país afetado.Especialistas da OMS afirmaram no encontro que a doença se estabilizou na Tailândia, mas mostraram preocupação com Vietnã, onde o número de casos dobrou desde o fim do ano passado.A OMS registra 79 casos de contágio da gripe avícola em seres humanos, dos quais 62 morreram. São sempre pessoas que tiveram contato com os animais infectados e, em sua maioria, tinham menos de 15 anos, conforme a agência Efe. Mas há a possibilidade de casos não fatais terem ocorrido sem registro.

Agencia Estado,

08 de abril de 2005 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.