Cientistas tentam esclarecer deputados sobre células-tronco

Um grupo de cientistas da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) se reuniu com o presidenteda Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), para solicitar que os parlamentares mantenham no texto da Lei Biossegurança apermissão para o uso de células-tronco de embriões humanos para fins terapêuticos. O texto está no Senado e deve voltar à Câmara."Na minha opinião, a Câmara não vai ficar para trás nesse debate. Vai ajudar a fazer uma lei que seja mais próxima da realidade", afirmou João Paulo, depois do encontro, na quarta-feira.Os deputados foram responsáveis pelo veto ao uso destas células, ao aprovar em fevereiro o texto da Lei de Biossegurança que foi, em seguida, ao Senado. Na Comissão de Educação, o relatório do senador Osmar Dias (PDT-PR) já foi aprovado, com uma emenda permitindo o uso deste tipo de material, sob várias restrições. Se aprovado em plenário, o texto alterado terá de voltar à Câmara.DesconhecimentoA ação dos cientistas junto aos parlamentares está sendo fundamental para esclarecer dúvidas e confusões a respeito do uso de células-tronco em presquisas. A mobilização começou assim que a Câmara decidiu vetar as pesquisas com células de embriões, aprovando um texto que demonstrava desconhecimento dos parlamentares sobre o assunto.O médico Drauzio Varella acompanhou os pesquisadores das duas universidades na visita à Câmara e se dispôs a participar de audiência pública com os deputados para explicar o uso das células-tronco em pesquisas. "A nossa esperança é que aqui na Câmara os deputados mantenham a permissão para usar as células-tronco", disse ele.Mas o projeto não deverá ser votado tão cedo no Congresso. A proposta que está no Senado é considerada polêmica porque, além daquestão das células-tronco, trata também da comercialização e pesquisa de organismos geneticamente modificados, os transgênicos.O relatório do senador Dias já foi aprovado na Comissão de Educação, mas ainda precisa passar por outras comissões antes de chegar ao plenário. A proposta permite o uso de células-tronco para fins terapêuticos e dá à Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) competência para decidir sobre a comercialização e pesquisa dos transgênicos.    leia mais sobre células-tronco

Agencia Estado,

26 de agosto de 2004 | 10h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.