Cientistas usam células-tronco para criar espermatozóide

Cientistas americanos conseguiram, pela primeira vez, produzir espermatozóides a partir de células-tronco embrionárias, que dão origem a todos os tecidos do organismo. O experimento, realizado com células de camundongos, tem implicações importantes para o estudo da evolução embrionária, com aplicações no tratamento de doenças, na reprodução assistida e na clonagem terapêutica e de animais. Os espermatozóides foram inclusive usados para fertilizar óvulos, dando origem a novos embriões, aparentemente normais.No meio do ano, outra equipe de pesquisadores já havia usado células-tronco embrionárias para produzir óvulos, também de camundongos. Munidos dos dois estudos, portanto, cientistas têm a capacidade de fabricar as duas células mais importantes do desenvolvimento animal e humano. O novo trabalho, publicado na revista Nature, foi coordenado por George Daley, do Children´s Hospital Boston e Harvard Medical School.A principal aplicação do estudo, segundo Daley, será na pesquisa básica da evolução embrionária. Os resultados podem ser valiosos também para o processo de clonagem e para técnicas de reprodução assistida.Os espermatozóides obtidos não eram perfeitos - não tinham cauda para se locomover -, mas, ainda assim, inseridos por meio de um agulha, foram capazes de fertilizar óvulos. Falta agora transferir os embriões resultantes para o útero de fêmeas, para saber se são viáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.