Cientistas usam esgoto para medir uso de cocaína

Pesquisadores na Itália dizem que é possível calcular o número de usuários de drogas ilícitas por meio da análise dos resíduos encontrados nos rios e nos esgotos de um país.Os cientistas, que tiveram o seu estudo publicado no jornal Environmental Health, aplicaram o método no rio Pó, o maior da Itália, e dizem ter descoberto resíduos de cocaína em uma quantidade três vezes maior do que esperavam.Os resíduos, que são eliminados pelos usuários da droga pela urina, foram medidos no esgoto e no rio que desemboca no Mar Adrático, ao sul de Veneza.Segundo os cientistas, cerca de quatro quilos de cocaína são levados pelas águas do rio Pó todos os dias, o que significaria que 40 mil doses da droga são consumidas diariamente na região habitada por 5 milhões de pessoas.Estatística falhaAs estatísticas oficiais - baseadas em população, registros médicos e índices de criminalidade - indicam um consumo muito menor naquela área.Para os pesquisadores, a amostragem foi suficiente para tirar conclusões válidas sobre o uso de drogas em boa parte do norte da Itália.Segundo eles, o novo método permitiria que os governos monitorassem o abuso de drogas com muito mais precisão.

Agencia Estado,

05 de agosto de 2005 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.