Niranjan Shrestha/AP Photo
Niranjan Shrestha/AP Photo

Cientistas vão ao Monte Everest para estudar impacto do aquecimento global

Time de cientistas norte-americanos vão coletar dados e compará-los com informações obtidas em outra viagem, dez anos antes

AP, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2019 | 02h15

KATHMANDU (NEPAL) - Uma equipe de cientistas norte-americanos voou nesta quarta-feira, 27, para a região do Monte Everest para estudar como a poluição impacta as montanhas e glaciais do Himalaia. A região apresenta taxas de derretimento de sua cobertura de neve por causa do aquecimento global.

O time de especialistas é liderado por John All, da Western Washington University. Ele pretende passar duas semanas na região e escalar o pico mais alto do mundo em maio, ao mesmo tempo em que coleta amostras o gelo, a neve e a vegetação.

O time pretende voltar aos Estados Unidos com amostras para serem estudadas. As informações serão comparadas com as obtidas pelo professor All durante uma outra visita ao local em 2009.

Não é a primeira vez que o cientista tenta completar uma missão de volta ao local. Em 2014, uma viagem de pesquisa foi encerrada precocemente após uma avalanche matar 16 guias locais. No mesmo ano, professor All caiu em um buraco de 22 metros de altura enquanto escalava uma das montanhas da região.

Ele quebrou costelas e o braço direito no acidente, mas conseguiu escapar e foi resgatado no dia seguinte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.