Cientologia completa restauração de documentos do fundador

Milhares de gravações de palestras e centenas de páginas de livretos de L. Ron Hubbard serão disponibilizados

Associated Press,

08 Janeiro 2010 | 17h09

Mais de 1.000 registros de palestras de L. Ron Hubbard e resmas de material impresso foram apresentados ao final de um projeto de 25 anos para localizar, restaurar e transcrever obras perdidas do fundador da Cientologia.

 

Tribunal francês multa cientologistas, mas permite operações

Cineasta deixa Cientologia e critica falta de ação contra homofobia

 

Embora o esforço provavelmente venha a ser ridicularizado pelos muitos críticos da igreja, os seguidores de Hubbard dizem que o material oferece uma oportunidade de aprofundamento da religião fundada pelo escritor de ficção científica.

 

"Seria como descobrir que o Buda, sem que ninguém soubesse, havia se sentado e escrito todas as suas descobertas, e pudesse ser provado que ele havia escrito", disse o principal porta-voz da igreja, Tommy Davis.

 

Os novos materiais foram anunciados numa festa de ano-novo no Shrine Auditorium de Los Angeles, transmitida a igrejas de todo o mundo na semana passada, e incluem 1020 palestras e centenas de folhetos de cursos e outras sessões com ministros da Cientologia, realizados entre 1953 e 1961.

 

Incluem uma discussão de como Hubbard chegou aos princípios da dianética, e suas pesquisas pessoais.

 

Todo o material - contido em 970 CDs de palestras e 57 encadernações dos livretos - são enviados para igrejas ad Cientologia em todo o mundo.

 

Diferentemente dos escritos ligados aos cursos avançados da religião, essa parte da obra de Hubbard não é considerada confidencial e restrita aos altos escalões. A coleção também estará à venda, por US$ 7.500.

 

"Cientologistas são literalistas, fundamentalistas no sentido de que encaram os escritos de Hubbard como verdade literal", disse o professor de religião e sociologia David Bromley, que já fez pesquisas sobre a Cientologia.

 

Fundada em 1950 por Hubbard, a Cientologia ensina aos fiéis que eles são seres espirituais imortais. A igreja diz que existe um ser supremo, mas não pratica a adoração de uma divindade.

 

Ela vem passando por um forte crescimento mundial e grande exposição, mas também é acusada de ser uma seita que abusa financeiramente de seus seguidores.

 

A igreja diz ter milhões de seguidores nos EUA e outros milhões em todo o mundo, mas um censo respeitado, a Pesquisa de Identificação Religiosa dos EUA, estima o número de americanos que se declaram cientologistas em 25.000, uma queda em relação aos 55.000 de 2001. Davis diz que os números da pesquisa são impossivelmente baixos.

Mais conteúdo sobre:
cientologiahubbard

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.