Clinton propõe combater mudança climática como saída à crise

Segundo o ex-presidente dos EUA, 'saída para a crise está em criar milhões e milhões de empregos'

Efe,

02 de abril de 2009 | 18h02

O ex-presidente americano Bill Clinton propôs nesta quinta-feira, 2, em Bruxelas, impulsionar as políticas de luta contra a mudança climática como uma fórmula para sair da crise econômica internacional.

 

Veja também:

link G-20 apoia redução de carbono, mas frustra ambientalistas

especialEntenda as negociações do novo acordo sobre mudança climática

especialEspecial: Evolução das emissões de carbono  

 

"Cada vez que vejo um lixão, vejo empregos", disse Clinton, em referência às oportunidades colocadas pelas energias renováveis durante seu discurso em um "fórum progressista" organizado na sede do Parlamento Europeu pelo Grupo Socialista.

 

Segundo o ex-presidente dos Estados Unidos, "a saída para a crise está em criar milhões e milhões de empregos" para desenvolver novas formas de gerar energia que mudem "a maneira com a qual alimentamos nossas economias".

 

Clinton ressaltou a necessidade de agir logo contra a mudança climática, e disse que "é relativamente fácil concordar metas estratégicas como um bom resultado da Conferência de Copenhague", que será realizada este ano, para buscar um acordo global.

 

"Mas a pergunta que os progressistas têm que fazer é: como vamos conseguir isso?", afirmou o ex-presidente americano.

 

Junto com o desafio da mudança climática, Bill Clinton aprofundou em sua intervenção nos outros dois grandes problemas que, segundo ele, "o mundo interdependente" de hoje possui: a desigualdade e a instabilidade.

 

A solução para os três desafios está interligada e deve ser buscada já, apesar da conjuntura econômica, acrescentou.

 

"Não podemos ignorar estes problemas por causa da crise financeira atual", insistiu, e recomendou aos Governos que definam planos de recuperação "agressivos" e, ao mesmo tempo, impulsionem a cooperação internacional.

 

"Eu apoio o plano do presidente (Barack) Obama, mas também apoio a secretária de Estado (Hillary Clinton) quando diz que não podemos nos afastar do resto do mundo", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.