CNPq comemora liberação de verbas para pesquisas

Depois de muitas incertezas e de corte de recursos para pesquisas nos últimos dois anos, a comunidade científica tem uma boa notícia para comemorar. O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) liberou o dinheiro para que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pague os atrasados de 129 projetos do Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex), lançados em 1997 e 1998.São R$ 2,15 milhões, que devem começar a entrar nas contas dos pesquisadores a partir desta sexta-feira. O atraso no repasse dessas verbas, causado pelo corte de 45% no orçamento de 2002 do MCT, foi motivo de protesto dos cientistas.Em setembro, 120 pesquisadores das maiores universidades e instituições de pesquisa do País encaminharam uma carta ao então presidente Fernando Henrique Cardoso, relatando a situação e cobrando providência.Na mesma ocasião, foi redigido um manifesto por 700 pesquisadores, liderados pela presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Glaci Zancan, exigindo "imediata restauração financeira do CNPq". Na época, o total em atraso era de R$ 17 milhões.Agora, com os editais de 1997 e 1998 pagos, o MCT quer colocar em dia os lançados em 1999. "São R$ 5,9 milhões, devidos a 43 grupos de pesquisa, que pagaremos até o fim do ano", garante o secretário executivo do MCT, Wanderley de Souza.O Pronex foi criado com o objetivo de promover e ampliar o desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil, oferecendo apoio e financiamento continuados a núcleos de excelência, grupos de pesquisadores de comprovada competência e reconhecimento internacional."Com a criação dos institutos do milênio, no entanto, esses dois programas estão se superpondo", explica Souza. ?Por isso vamos reavaliar o Pronex e reorientá-lo. Mas não deixaremos de ter um programa de apoio a núcleos de excelência."

Agencia Estado,

05 de março de 2003 | 21h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.