Coalas estão em perigo devido ao aumento da poluição do ar

Pesquisadores mostram que CO2 causa diminuição em nutrientes do eucalipto, fonte de alimentação da espécie

AP

07 de maio de 2008 | 16h22

Coalas estão ameaçados pelo constante aumento do nível de dióxido de carbono (CO2) presente na atmosfera porque essa poluição diminui os nutrientes das folhas de eucalipto, principal fonte de alimentação desses animais. Foi o que disse o pesquisador Ian Hume nesta quarta-feira, 7, em apresentação à Academia Australiana de Ciência em Camberra.  O professor emérito de biologia na Universidade de Sydney, disse ter encontrado, juntamente com sua equipe, que o nível de toxicidade - equilíbrio de nutrientes e "anti-nutrientes" (substâncias tóxicas ou que interferem na digestão de nutrientes) - nas folhas de eucalipto das mudas aumentou quando o nível de CO2 nas estufas cresceu. Algumas espécies de eucalipto têm altos níveis de proteínas, mas alguns anti-nutrientes "amarram" as proteínas, de forma que os coalas não conseguem digerir. Hume disse que sua equipe não fez modelos de previsão sobre como o aquecimento global afetará o habitat dos coalas no futuro, mas ele estima que no nível de poluição atual haverá uma diminuição sensível na população australiana de coalas em 50 anos, devido à falta de folhas nutritivas.  Dos mais de 600 tipos de eucaliptos australianos, coalas apenas comem as folhas de cerca de 25, disse o pesquisador, quantidade que pode diminuir ainda mais caso os níveis de poluição permaneçam os mesmos. Hugh Tyndale-Biscoe, especialista em marsupiais, explicou que as folhas de eucaliptos já têm baixo valor nutritivo, a que a espécie de adaptou dormindo 20 horas por dia para guardar energia.

Tudo o que sabemos sobre:
coalasaustráliaaquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.