Reprodução
Reprodução

Com aumento do trabalho feminino, crescem casais em que marido e mulher têm renda

Censo também mostra que união de casais de raças diferentes ficou estagnada na última década

Luciana Nunes Leal,

17 Outubro 2012 | 10h01

Por causa da maior inserção da mulher no mercado de trabalho, dos anos 1980 para cá, é crescente, segundo o IBGE, a proporção de casais em que os dois cônjuges têm rendimento. Em 2010, 62,7% dos casais tinham renda do marido e da mulher. Essa proporção era de apenas 41,9% em 2000.

 

As uniões entre casais de raças diferentes são crescentes no País, mas na última década houve quase estagnação em relação ao Censo anterior. Em 1960, 88% dos casais eram formados por pessoas da mesma raça, porcentual que caiu para 80% em 1980. Em 2000, chegou a 70,9%. Em 2010, a proporção de casais da mesma raça ficou praticamente a mesma: 69,3%. Segundo o IBGE, o "maior salto, ocorreu no período de 1980 a 2000, provavelmente em função da diminuição das desigualdades educacionais ocorridas no País nesse período". Os dados mostram que homens e mulheres tendem a se unir a pessoas do mesmo nível educacional. Em 2010, 68,2% dos casais tinham o mesmo nível de instrução. Em 2000, eram 65%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.