Começa o julgamento dos padres acusados de pedofilia em Maceió

Eles são acusados de abusar de três coroinhas e podem pegar pena de cinco a dez anos de prisão

Ricardo Rodrigues,

08 Julho 2011 | 13h09

MACEIÓ - Começou às 9h desta sexta-feira, 8, o julgamento dos três padres acusados de pedofilia na cidade de Arapiraca, que fica a 150 quilômetros de Maceió, em Alagoas. Luiz Marques, Edilson Duarte e Raimundo Gomes teriam abusado sexualmente de três coroinhas da Igreja Católica.

A sessão é presidida pelo juiz João Carlos de Azevedo Lema da Vara da Criança e da Juventude de Arapiraca. Segundo o juiz, os condenados podem pegar de cinco a dez anos de prisão.

O magistrado abriu a audiência ouvindo primeiro os três coroinhas que se dizem vítimas de abuso sexual: Fabiano Ferreira, 21, Cícero Flávio Barbosa, 20, e Anderson Farias, 21.

Eles reafirmaram as acusações contra o sacerdote, feitas na Justiça e na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia em maio de 2010.

O julgamento é acompanhado por representantes da Santa Fé (Vaticano) que foram designados pela diocese de Alagoas para acompanhar as investigações: Daniel do Nascimento e Menoti Severiano. Eles afirmaram que, independentemente, da decisão da Justiça, o processo já foi aberto por recomendação do Vaticano para apurar as denúncias contra os padres.

Mais conteúdo sobre:
padreabuso sexualpedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.