Começa operação de remanejo da carga de supergraneleiro avariado no MA

Cerca de 50 mil toneladas de minério de ferro serão redistribuídas para dar mais equilíbrio à embarcação, avariada em dezembro

Ernesto Batista, especial para O Estado de S. Paulo,

04 Janeiro 2012 | 10h33

Técnicos da STX Pan Ocean e da Smit começaram na manhã de ontem, 3, a operação de remanejamento da carga de minério de ferro que está nos porões do supergraneleiro Vale Beijing. A operação consiste em transferir cerca de 50 mil toneladas que estão no porão n° 7 para os porões número 3 e 5 para redistribuir a carga dentro da embarcação.

O procedimento está sendo feito com a ajuda de outro navio equipado com guindastes que foi atracado ao costado do Vale Beijing e de uma correia transportadora emprestada pela mineradora Vale. O porão que

está sendo esvaziado fica ao lado do tanque de lastro n° 7, que apresentou duas rachaduras - uma de cada lado do navio - em dezembro passado.

Com a transferência de carga entre os porões, os técnicos esperam dar mais equilíbrio para a embarcação de 400 mil toneladas e poder fazer avaliações mais precisas das avarias que o navio sofreu enquanto era

carregado no Terminal Portuário de Ponta da Madeira (TPPM). Contudo, ainda não há definições sobre a retirada de 2,5 mil toneladas de óleo diesel e óleo bruto, operação que fracassou na semana passada.

Equipes da Capitânia dos Portos do Maranhão e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) acompanham o remanejamento da carga.

Porto

Ainda em janeiro, tanto o TTPM como o projeto da classe "Vale Max", a qual pertence o Vale Beijing, deverão passar por uma prova de fogo. Isso porque três navios do tipo - o Vale China, construído no estaleiro Chinês China Rongsheng Heavy Industries; o Vale Brasil e o Vale Itália, ambos constrtuídos no estaleiro coreano Deawoo Shipping & Maritime Engineering, no ano passado - chegarão a baía de São Marcos para buscar carregamentos de minério de ferro. Cada um deles tem previsão de receber cerca de 390 mil toneladas, carga equivalente a que deveria ter sido embarcada no Vale Beijing.

O primeiro a chegar à baia de São Marcos deve ser o Vale Brasil, cuja chegada a São Luís está prevista para sexta-feira (6) e está programado para atracar no dia seguinte. Ele é o primeiro navio do tipo a ser

lançado, foi entregue em maio passado e está em seu terceira viagem.

Será o primeiro navio do tipo "Vale Max" a ser carregado no terminal de Ponta da Madeira desde o incidente com o Vale Beijing, no começo de dezembro de 2011. Os outros dois navios irmãos têm chegada prevista

para ente os dias 13 e 25 de janeiro.

Um quinto navio da classe, o Vale Rio de Janeiro, está rumando para o porto holandês de Rotterdã, com uma carga de 390 mil toneladas de minério de ferro. Hoje, ele está no Mar do Norte e tem previsão de

chegar ao destino, segundo o site Marine Traffic, até quinta-feira (5). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.