Cometa chega a 60 milhões de quilômetros da Terra

Aproximação máxima foi registrada nesta madrugada; planetário de SP terá palestra e observação

da Redação,

24 de fevereiro de 2009 | 10h29

O cometa Lulin, descoberto em 2007, fez sua passagem mais próxima da Terra na madrugada de segunda para terça-feira, a uma distância de cerca de 60 milhões de quilômetros. Astrônomos de diversos países estão estudando o Lulin com o uso do telescópio espacial Swift, da Nasa, mas também pode-se tentar vê-lo aqui da Terra. Para isso, é preciso escapar da poluição luminosa das grandes cidades e, de preferência, usar de binóculos.    Mapa do céu do hemisfério sul em português    O cometa é o ponto verde no centro desta imagem, feita em um parque nacional dos EUA. Os galhos das árvores estão vermelhos por causa da luz especial usada pelo fotógrafo. Bill Ingalls/Nasa   Atividades envolvendo o Lulin - que deve o nome ao observatório de Taiwan onde foi feita a foto do céu que o revelou - estão na programação brasileira do Ano Internacional da Astronomia, celebrado agora em 2009. No dia 26, o professor Oscar Matsuura, da USP, fará palestra no planetário de São Paulo sobre o assunto. A palestra será seguida por observações do cometa com telescópio, se o tempo ajudar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.