Cometa mostra que a vida pode ter vindo do espaço

Cientistas alemães e norte-americanos descobriram novos indícios de que a vida na Terra teria surgido com a ajuda do pó de cometas. "Pela primeira vez foi constatada entre estas partículas a presença de coenzimas do tipo PQQ, substâncias presentes em todos os seres vivos, com exceção das arqueobactérias", disse Jochen Kissel, pesquisador do Instituto Max Planck da Alemanha.A revelação faz parte de uma série de artigos publicados na revista Science, com as primeiras análises dos dados enviados pela sonda espacial Stardust, que em janeiro passou a 236 km do cometa Wild 2.Ovo e galinhaA nave atravessou a cauda do cometa e coletou partículas para serem trazidas de volta à Terra - entre elas, as do tipo PQQ, essenciais para a formação de material genético. O DNA, afinal, nada mais é do que uma molécula orgânica.O processo de criação dos genes antes do surgimento das primeiras formas de vida ainda é um mistério para os cientistas. "É a famosa pergunta sobre o ovo e a galinha. Agora sabemos que um dos dois veio do espaço", disse o físico Franz Krueger, co-autor do estudo.Hoje o pó estelar que chega à Terra não tem mais influência, pois os seres vivos produzem seu próprio material genético.Radiação cósmica"As coenzimas do tipo PQQ foram criadas com a ajuda de radiação cósmica a partir de moléculas existentes sobre a superfície de partículas minerais," diz o físico.Krueger foi um dos cientistas que produziu o espectrômetro instalado na sonda, que permite analisar as partículas cósmicas diretamente do espaço. A Stardust foi lançada há cinco anos e deve retornar à Terra no início de 2006.Fotos surpreendentesAs primeiras fotos enviadas pela sonda também surpreenderam os cientistas, revelando que o cometa é um objeto recoberto de platôs, crateras, picos e canyons. "Achávamos que o cometa fosse mais como uma bola suja e negra de neve", disse o chefe de pesquisa da missão, Donald Brownlee, da Universidade de Washington, em nota divulgada pela Nasa.Em vez disso, encontraram uma grande variedade de paisagens, moldada por impactos de outros corpos. "Pode ser que isso seja típico de outros cometas, mas é diferente de qualquer outro objeto do sistema solar."Comportamento estranhoO cometa tem o formato de um imenso hambúrger, com 5 km de largura.Alguns picos têm mais de 100 metros de altura e algumas crateras, mais de 150 metros de profundidade.Além do relevo, o comportamento estranho do cometa intriga os cientistas, segundo outros estudos. Jatos de gás escapam de sua superfície, como geisers, levando consigo pequenas rochas que acabam virando projéteis a velocidades supersônicas. Os estudos falam também da distribuição caótica de pequenas partículas que saem do núcleo do cometa para sua cauda.

Agencia Estado,

18 de junho de 2004 | 09h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.