Raman Oza/Pixabay
Raman Oza/Pixabay
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Como o cérebro combate uma infecção

Foi descoberta a área do órgão humano que recebe o aviso do sistema imune para causar febre e fadiga

Fernando Reinach*, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2022 | 05h00

Quando um vírus ou bactéria invade nosso corpo, o encarregado de identificar e combater o invasor é o sistema imune. Ele produz anticorpos que neutralizam o invasor. Além disso conserva um registro da identidade dele. Mas em todos os mamíferos o cérebro ajuda no combate: aumenta a temperatura do corpo (febre), diminui a vontade de nos movimentarmos (fatiga) e o apetite, aumenta nossa sensibilidade à dor e faz com que procuremos lugares quentes e protegidos. Todos esses comportamentos têm como objetivo ajudar o sistema imune. 

A novidade agora é que foi descoberta a região do cérebro que recebe o aviso do sistema imune, em experimentos feitos em camundongos. Os animais foram injetados com um componente da parede de bactérias, o que provoca a resposta do sistema imune como se fosse uma infecção. 

Após duas horas, o animal já estava com febre. Feito isso, os cientistas procuraram no cérebro e descobriram que os neurônios ativados ficam numa região do hipotálamo chamada de pré-óptica. Usando experimentos, os cientistas mostraram que basta ativar essas células para a temperatura do corpo subir, o animal se sentir cansado e procurar um lugar mais quente para descansar. 

Por outro lado, quando os cientista destruíram as células dessa área do cérebro, e depois injetavam os componentes da parede, o sistema imune era ativado e combatia o invasor. Mas a temperatura do corpo não aumentava e os animais não aparentavam cansaço. 

Em seguida os cientistas descobriram que moléculas produzidas por células presentes nos pequenos capilares ativam esses neurônios do hipotálamo. E mapearam as outras regiões do cérebro para onde ia o sinal produzido. 

Esses resultados demonstram que, quando um vírus ou bactéria entra no nosso corpo, o sistema imune detecta o invasor e produz moléculas que ativam as células dos capilares. Os capilares por sua vez produzem moléculas que ativam neurônios do hipotálamo. Ativados, esses neurônios mandam sinais elétricos para as outras regiões do cérebro que controlam a temperatura do corpo, o cansaço e tudo mais. Ou seja, esse grupo de neurônios presente no hipotálamo faz a ponte entre o sistema imune e o cérebro, coordenando as diversas respostas. 

Da mesma forma que a imagem de um leão é comunicada pelo sistema visual ao cérebro e provoca medo e fuga, a presença de vírus ou bactéria é comunicada ao cérebro e provoca febre e outros sintomas.

MAIS INFORMAÇÕES: A Preoptic Neuronal Population Controls Fever and Appetite During Sickness?

*É BIÓLOGO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.