Alex Mccarthy/Unplash
Alex Mccarthy/Unplash
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Como o exercício emagrece: descoberta molécula responsável por esse processo

Lac-Phe provoca a perda de apetite e peso mesmo na ausência de atividade muscular

Fernando Reinach*, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2022 | 05h00

Fazer exercício é bom. Ajuda a controlar o peso e pode prolongar a vida. Infelizmente não sabemos como a atividade muscular gera esses benefícios. Agora os cientistas estão começando a entender o mecanismo molecular que transforma atividade muscular em longevidade. Foi descoberta uma molécula responsável por esse processo.

Cientistas compararam o sangue de camundongos e cavalos após treinos extenuantes com o sangue desses mesmos animais imediatamente antes dos treinos. Sabemos que um número enorme de componentes mudam suas concentrações no sangue após o exercício, mas com os novos espectrômetros de massa (um tipo de equipamento) moléculas que existem em pequenas quantidades, como novos hormônios, podem ser identificadas.

Tanto nos cavalos quanto em humanos e camundongos os cientistas descobriram uma nova molécula cuja concentração aumenta após o exercício. Ela é um dímero: uma molécula de lactato ligada a uma molécula de fenilalanina (Lac-Phe). O lactato é produzido pelos músculos quando nos exercitamos. A fenilalanina é um dos 20 aminoácidos que compõe nossas proteínas.

Analisando como a Lac-Phe é produzida, os cientistas descobriram a enzima que liga o lactato à fenilalanina. E com base nessas informações produziram grandes quantidades de Lac-Phe e também um camundongo geneticamente modificado que não possui a enzima.

Num primeiro experimento injetaram Lac-Phe em camundongos que não haviam se exercitado. Observaram que esses camundongos tinham seu apetite reduzido da mesma maneira que os camundongos que praticavam exercícios. Se a substancia era injetada por muitos dias seguidos o camundongo perdia peso e tecido gorduroso do mesmo modo que um camundongo que se exercitava.

Esse experimento demonstra que a Lac-Phe provoca a perda de apetite e peso mesmo na ausência de atividade muscular. Em seguida os cientistas submeteram ao exercício os camundongos incapazes de produzir Lac-Phe. Esses animais, apesar de fazerem muito exercício, não perdiam peso nem o apetite. Mas quando esses mesmos animais recebiam injeções de Lac-Phe eles voltavam a perder o apetite e o peso. Esses experimentos demonstram que a Lac-Phe é uma das moléculas que controlam a perda de apetite e peso após o exercício.

É provável que novas drogas baseadas nessa descoberta venham nos ajudar a obtermos os benefícios dos exercícios sem fazer atividades.

Mais informações: An exercise-inducible metabolite that suppresses feeding and obesity. Nature. 

* É BIÓLOGO, PHD EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR PELA CORNELL UNIVERSITY E AUTOR DE A CHEGADA DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL; FOLHA DE LÓTUS, ESCORREGADOR DE MOSQUITO; E A LONGA MARCHA DOS GRILOS CANIBAIS

Tudo o que sabemos sobre:
exercício físicoobesidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.