Comunidade vai acompanhar despoluição do Tietê

Uma ação simultânea de monitoramento da qualidade da água do Rio Tietê pela comunidade, em cinco pontos da Região Metropolitana de São Paulo e um no Médio Tietê, marcam o início das atividades do programa ?Mãos a Obra pelo Tietê?, da Fundação SOS Mata Atlântica, neste sábado, dia mundial da água. Coordenado pelo Núcleo União Pró-Tietê, o programa envolverá de forma direta 300 grupos de voluntários, com o objetivo de acompanhar a segunda etapa do Projeto de Despoluição do Rio Tietê, desenvolvido pela Sabesp, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).Cada um dos grupos - formados por alunos de escolas públicas, entidades ambientalistas ou grupos de escoteiros - receberá dos monitores do Pró-Tietê um kit para análise da água, que será realizada em vários pontos do Alto e Médio Tietê durante três anos, como parte do componente de educação ambiental do Projeto Tietê. Esta primeira coleta será realizada a partir das 10 horas nas cinco sub-bacias do Alto Tietê: Pinheiros-Pirapora/Pinheiros-Penha, na Ponte das Bandeiras, em São Paulo; Juqueri-Cantareira, na Casa Humanista, em Franco da Rocha; Cotia-Guarapiranga, no Parque Francisco Rizzo (Parque do Lago), em Embu; Billings-Tamanduateí, na Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo; e Cabeceiras do Tietê, na beira do Tietê, em Mogi das Cruzes. No Médio Tietê, que compreende os municípios ribeirinhos localizados abaixo de Pirapora do Bom Jesus, afetados drasticamente pela poluição da região metropolitana, vários grupos participarão da coleta no Núcleo de Educação Ambiental da SOS Mata Atlântica, na Estrada Parque APA Rio Tietê, em Itu.

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 12h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.