Conferência busca medidas rápidas para o clima

A Conferência de Montreal sobre mudanças climáticas começou nesta segunda-feira com a marca da pressa e da necessidade de obter dos Estados Unidos e da China algum empenho na redução das emissões de gases causadores do efeito estufa e do aquecimento global.Organizações como Greenpeace e WWF apelaram aos 10 mil delegados de 190 países para que já em 2008 estejam definidas as medidas concretas a serem implementadas após 2012, quando termina o prazo de vigência do Protocolo de Kyoto.O Greenpeace chegou a propor a prorrogação do protocolo, que estabelece para vários países metas de redução na emissão de gases. A ONG defende que ?haja tempo para a ratificação e implementação" de medidas concretas contra as mudanças climáticas.O WWF destacou que os países precisam sair desta 11.ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP 11) - nome oficial da reunião ? com passos bem definidos para terem em três anos o tratado sucessor de Kyoto."O Protocolo de Kioto exige de fato que as negociações se iniciem agora e não mais tarde", disse Jennifer Morgan, diretora do Programa de Mudança Climática Mundial do WWF, lembrando que deve haver uma decisão formal e compromissos dos países.EUA e emergentesOs olhos dos participantes da COP 11 estão voltados sobretudo aos Estados Unidos, que rejeitaram o Protocolo de Kyoto exatamente porque este obriga seus signatários desenvolvidos a cumprir metas.O governo de George W. Bush alega que isso prejudicaria o setor produtivo americano, obrigando-o a reduzir sua atividade enquanto países como a China ficam livres para produzir e poluir. Espera-se que nestas duas semanas de conferência os EUA apresentem alguma alternativa que demonstra um compromisso efetivo com a redução do efeito estufa.O WWF e o Greenpeace concordam com a necessidade de países como China, Índia e Brasil também assumirem maiores responsabilidades. "Alguns países em desenvolvimento devem demonstrar sua disposição para cumprir sua parte", segundo o WWF da Espanha.ProtocoloSe os participantes da COP 11 já pensam no pós-Kyoto, isso não significa que as determinações do protocolo estejam sendo implementadas a contento. Na verdade, esta conferência é o primeiro encontro das Nações Unidas sobre o clima desde que o tratado entrou em vigor, em fevereiro passado.Embora os mecanismos de trabalho estejam aprovados pelos 156 signatários de Kyoto, sua implementação formal só deve acontecer agora em Montreal.Um exemplo é o Mecanismo para o Desenvolvimento Limpo (MDL), sistema que permite aos países industrializados trocar a redução de suas emissões por investimentos ambientais em países em desenvolvimento. O sistema deve criar o chamado mercado de créditos de carbono.O desempenho de signatários do tratado também preocupa.O Canadá, anfitrião da conferência e membro historicamente capacitado a dirigir as negociações sobre políticas ambientais globais, anunciou muitas medidas de redução de suas emissões mas elas aumentaram 24,2% em relação aos níveis de 1990 segundo as Nações Unidas.Entre os países que ratificaram o protocolo e não conseguiram reduzir a emissão de gases poluentes, a situação da Espanha é a pior. O país ocupa o primeiro lugar em aumento de emissões entre 1990 e 2003, com 41,7%.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

28 de novembro de 2005 | 23h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.