Conferência no RJ debate energia nuclear

A cidade do Rio de Janeiro sedia nesta semana a Conferência Internacional Nuclear do Atlântico (Inac 2002), promovida Associação Brasileira de Energia Elétrica (Aben), e que deve reunir, até a próxima sexta, representantes de 30 países, dos cinco continentes. O evento, que conta com o apoio da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), tem como objetivo discutir a energia nuclear em seus principais pontos - como a qualificação e treinamento de profissionais do ramo, o papel das tecnologias avançadas, o ressurgimento da importância da energia nuclear no mundo, além do impacto ambiental provocado pela sua instalação.Paralelos à conferência acontecem um painel público sobre a aceitação da energia nuclear, uma feira de exposição de produtos e serviços tecnológicos e workshops promovidos por entidades internacionais da área. Entre os principais temas a serem debatidos está a retomada do projeto de Angra 3 no norte do Estado do Rio, que deve consumir investimentos de US$ 1,8 bilhão, além dos US$ 700 milhões já aplicados para a geração de 1.309 MW. A conferência também reúne no Rio os três encontros promovidos pela Aben regularmente - Encontro Nacional de Aplicações Nucleares (VI Enan), Conferência Geral de Energia Nuclear (IX Cgen) e Encontro Nacional de Física de Reatores e Termo-hidráulica (XII Enfir). A perspectiva é de que sejam apresentados, nestes encontros, cerca de 600 trabalhos de especialistas do setor no Brasil, Argentina, China, França, Estados Unidos, Japão, Coréia, Cuba, Alemanha e México.

Agencia Estado,

12 de agosto de 2002 | 15h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.