AP Photo/Natacha Pisarenko
AP Photo/Natacha Pisarenko

Com 'superlua', veja vídeo e fotos do único eclipse lunar do ano

Evento teve 'bônus' de 'superlua', quando o satélite natural da Terra está maior e mais brilhante, por conta da proximidade

Redação, AP

21 de janeiro de 2019 | 04h22

CABO CANAVERAL - O único eclipse lunar total deste ano veio acompanhado de uma "superlua de sangue" como "bônus". Isso acontece quando o satélite natural da Terra está mais próximo do planeta, o que faz com que fique maior e mais brilhante quando visto no céu. 

Na madrugada desta segunda-feira, 21 (horário de Brasília), a Lua, Terra e o Sol se alinharam e criaram o eclipse, que foi visível nas Américas do Norte e do Sul, em locais em que o céu estava limpo. Não haverá outro evento como este até 2021. Foi também a primeira "superlua" de 2019. 

O eclipse durou, ao todo, mais de três horas. O eclipse total, quando a lua está completamente coberta pela sombra da Terra, durou uma hora. Durante o eclipse total, a Lua se tornou vermelha por conta dos raios solares que se espalharam da atmosfera terrestre. Além das Américas, o evento pôde ser observado, em locais que o clima permitiu, por todo o Atlântico e partes da Europa

Mais conteúdo sobre:
eclipseLua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.