Confirmado: jacarés da Ilha Grande são papo-amarelo

Os jacarés que infestam a Ilha Grande, no sul fluminense, são do tipo papo-amarelo, ameaçados de extinção. Ainda neste mês, um biólogo vai se instalar na ilha para fazer o levantamento da população de répteis. Hoje, segundo a Agência Brasil,os técnicos da Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema), Instituto Estadual de Floresta (IEF) e Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) terminaram a vistoria em três pontos da ilha, depois de três dias de trabalho. De acordo com o agente Regional da Feema, Miguel Arcanjo, que participou do trabalho, na próxima semana, serão instaladasna ilha oito placas para informar a turistas e moradores sobre a presença dos animais. "Já estamos padronizando as placas queserão colocadas para avisar sobre os animais". Ele disse que o grupo encontrou muitas pegadas, o que indica que a populaçãode répteis é grande. O agente afirmou que a espécie não é agressiva e se alimenta apenas de caranguejo, caramujo, pequenos roedores e aves. Elerevelou que alguns moradores admitiram que dão comida aos animais. Para Miguel Arcanjo, a presença dos jacarés não deveafetar o tu rismo. Os técnicos da Feema constataram que os animais estão concentrados entre as praias de Lopes Mendes e Palmas, localidade de Dois Rios, e na reserva da Praia do Sul. Eles admitiram a versão corrente na ilha de que um estrangeiro chamado Peter levou um casa l de répteis para a região.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2004 | 18h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.