Construção de hotel é suspensa em Angra dos Reis

A construção do resort Meliá Angra Resort Marina & Convention, em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense, está embargada pela Justiça por descumprimento de exigências ambientais. Localizado na Área de Preservação Ambiental (APA) de Tamoio, o hotel não apresentou o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) nem o Relatório de Impacto Ambiental (Rima). Procurada pela Agência Estado, a empresa João Fortes Engenharia, responsável pela obra, não havia comentado o assunto até a noite desta quinta-feira.As obras foram embargadas pelo Ibama com base na irregularidade, mas acabaram sendo retomadas porque os construtores usaram a licença ambiental que havia sido concedida pela Fundação Estadual de Engenharia de Meio Ambiente (Feema), em dezembro de 2001, mesmo sem os estudos de impacto. Esta semana a Feema suspendeu a licença, o que fez com que a construção fosse interrompida.O resort, que fica em frente à Ilha do Pimenta, terá 319 quartos e é considerado no mercado imobiliário o maior complexo hoteleiro da costa brasileira com marina integrada. A propaganda vende a imagem de um empreendimento ligado à ecologia, o que é reforçado pela propaganda com o navegador Amyr Klink e os iatistas Robert Scheidt e Torben Grael. ?Tem que demolir. Precisamos acabar com a impunidade ambiental em Angra?, diz o vice-presidente da Sociedade Angrense de Proteção Ecológica (Sape), Ivan Marcelo Neves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.