Construção de termelétrica perto de floresta causa polêmica

A construção de uma termelétrica no entorno da Floresta Nacional de Ipanema (Flona), com sede em Iperó, na região de Sorocaba, está causando polêmica. A unidade vai utilizar gás natural para gerar energia. A empresa ARS Energia obteve autorização da prefeitura de Araçoiaba da Serra, município onde será realizada a obra. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que administra a Flona, considera que o empreendimento precisa também de licença federal. Segundo o Ibama, uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) baixada em 1990, estabelece que qualquer projeto a ser desenvolvido na área de influência das unidades de conservação deverá ter autorização do órgão responsável pela unidade. A área de influência abrange um perímetro de 10 quilômetros contados do limite da Flona. O terreno adquirido para a instalação da termelétrica fica a seis quilômetros da floresta, segundo o Ibama. O impacto que a unidade vai produzir na região preocupa os ambientalistas. A área abriga condomínios de chácaras e remanescentes de mata atlântica. A usina fica próxima de Sorocaba, cidade que já sofre com o excesso de poluição atmosférica. O prefeito de Araçoiaba da Serra, Jair Ferreira Duarte Júnior (PMDB), defende a termelétrica. Segundo ele, serão criados mil empregos durante a fase de instalação. O presidente da ARS, Ítalo Hamilton Barioni, considera suficiente para o início das obras a licença dada pela prefeitura. Contudo, ele informou que a empresa encaminhou o projeto também à Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Segundo Barioni, a termelétrica de Araçoiaba da Serra será refrigerada a ar, reduzindo o consumo de água a 30 metros cúbicos por segundo. O líquido será retirado de nascente própria. De acordo com ele, a emissão de resíduos sólidos será mínima e o material pode ser depositado em qualquer aterro sanitário. A administradora da Flona, Ofélia Gil Willmersdorf, aguarda a apresentação oficial do projeto pela empresa e a designação de audiência pública. Caso as obras sejam iniciadas sem licença do Ibama, a Flona vai requerer o embargo à Justiça.

Agencia Estado,

09 de setembro de 2002 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.