Contaminação já deixa meio milhão sem água no Rio

O município de Campos, um dos maiores do Estado do Rio, terá que interromper o abastecimento de água a partir de hoje. A maior parte da água que abastece a cidade vem do Rio Paraíba do Sul ? atingido pela contaminação do seu afluente Pomba por resíduos tóxicos da Indústria Cataguases de Papel. O acidente aconteceu no sábado; a poluição está seguindo em direção a Campos e, por isso, a Defesa Civil e as autoridades ambientais determinaram que a distribuiçã de água na cidade seja cortada hoje. Ao todo, já há meio milhão de pessoas sem água em seis municípios por causa do vazamento de produtos tóxicos da Cataguases de papel, que fica em Minas Gerais, perto da divisa com o Estado do Rio de Janeiro. Os técnicos do governo dizem que a poluição é diferente da que acontece quando há vazamento de óleo. Desta vez, os produtos químicos - ainda desconhecidos - estão misturados na água e não podem ser retirados, segundo informou o programa Bom Dia, Brasil, da Rede Globo. Gravidade O ministro das Cidades, Olívio Dutra, considerou como "muito grave" o desastre ambiental provocado pelo vazamento de rejeitos químicos de um reservatório da empresa Cataguases Papéis, em Minas Gerias, que contaminou os rios Pomba e Paraíba do Sul. Ele defendeu leis mais rigorosas para a instalação de grandes empresas no país. Segundo o ministro, o acidente comprova a irregularidade e a gravidade do problema, já que a empresa é reincidente. "Precisamos de leis mais rigorosas que obriguem as empresas a ouvirem a população e os municípios antes de se instalarem nas cidades", disse o ministro, ao visitar o projeto do primeiro Núcleo de Prevenção das Áreas de Risco, na favela Nova Brasília, em Niterói.

Agencia Estado,

02 de abril de 2003 | 11h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.