Continua suspensa a pesca em Paranaguá

Dez dias após o acidente com o navio Vicuña, na Baía de Paranaguá, as equipes de resgate de fauna já recolheram mais de 50 animais atingidos pelo derramamento de óleo, incluindo 3 botos, 15 aves e 15 tartarugas mortas. Em um contexto ambiental mais amplo, entretanto, quem parece estar sofrendo as maiores conseqüências é a comunidade local. Cerca de 3.400 famílias locais que dependem da pesca para sobreviver estão impedidas de trabalhar desde o acidente. A pesca foi proibida dentro das baías, por risco de contaminação, e deve permanecer assim até o início da semana que vem, para quando são esperados os laudos de análise da qualidade da água. O Vicuña explodiu no dia 15, quando desembarcava uma carga de 14 milhões de litros de metanol no Porto de Paranaguá. Quatro tripulantes morreram na explosão. O navio afundou junto ao terminal e também derramou parte de sua reserva de 1.350 toneladas de óleo diesel e óleo combustível pela baía, contaminando várias áreas de preservação ambiental e de reprodução biológica. A maior parte da sujeira já foi limpa, mas as feridas do óleo ainda são visíveis em alguns pontos, principalmente nas raízes dos manguezais e no capim de beira de praia, cobertos por uma pasta negra. As quatro empresas envolvidas no acidente estão sendo multadas em R$ 250 mil por dia cada uma e a Secretaria Nacional de Pesca e Agricultura prometeu liberar R$ 1,7 milhão do Fundo de Amparo ao Trabalhador para pagar um salário mínimo a cada pescador afetado. As famílias também foram prometidas cestas básicas, mas até agora não receberam nada. Outra comunidade que está sofrendo o impacto do acidente é a da Ilha do Mel, uma importante unidade de conservação e principal ponto turístico da região. O óleo atingiu principalmente o lado oeste da ilha, que não é habitado nem acessível aos turistas, mas nem por isso os efeitos deixaram de ser sentidos no lado leste. Apesar da água e das praias já estarem limpas, a imagem negativa criada pelo acidente está espantando os visitantes. A quantidade e o tipo de óleo que vazou ainda não foram determinados. O derramamento atingiu principalmente as Baías de Paranaguá, Guaraqueçaba e Antonina. Com relação ao metanol, acredita-se que a maior parte da carga tenha sido consumida no incêndio após a explosão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.