COP-10 não supera divergências entre países

As diferenças de posição entre os países deu o tom do plenário de ministros do Meio Ambiente realizado pela 10.ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP-10), em Buenos Aires. As negociações não demonstram evolução e travam em pontos como o dos mecanismos de ajuda técnica e financeira aos países em desenvolvimento, os mais vulneráveis à mudança climática.O ministro do Meio Ambiente do México, Alberto Cárdenas Jiménez, reclamou: "é um tema muito disperso e não foi abordado de uma forma integral. Não deve existir conflito entre as medidas dos gases contaminantes e as de adaptação à mudança climática", disse no plenário Ministerial.Cárdenas Jiménez avisou que falta trabalhar num "programa efetivo que possa se aplicar em cada país". Para tanto, defende a participação das nações industrializadas. Os países de desenvolvimento, ressalta, não têm recursos e são os mais vulneráveis à mudança climática.Representantes da COP-10 e ecologistas ressaltam que o único avanço de relevância foi a assinatura de termos de cooperação que comprometem países desenvolvidos a investir em tecnologias limpas e que contribuam com o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento. leia mais

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2004 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.