Cordilheira perde 26% de sua área devido à mudança climática

Desde 1977, a média de retrocesso anual das geleiras na Cordilheira Blanca subiu para 20 metros

Efe

15 de julho de 2008 | 15h29

A Cordilheira Blanca, no Peru, uma das mais belas cadeias de montanha do mundo, perdeu pelo menos 26% de sua superfície desde a década de 70 como conseqüência da mudança climática, informaram nesta terça-feira, 15, fontes oficiais.   "As imagens de satélite mostram que a superfície da Cordilheira Blanca tem 535 quilômetros quadrados, o que demonstra que nos últimos 33 anos foram perdidos 188 quilômetros quadrados", disse à agência oficial Andina o diretor da Unidade de Glaciologia do Instituto Nacional de Recursos Naturais (Inrena), Marco Zapata.   O especialista afirmou que esta é uma das conclusões de um estudo sobre geleiras e lagoas do Peru que será apresentado oficialmente em aproximadamente dois meses.   Segundo Zapata, entre 1948 e 1977 a média de retrocesso anual das geleiras na Cordilheira Blanca era entre 8 e 9 metros por ano, mas desde 1977 esse número subiu para 20 metros.   "O primeiro estudo sobre a Cordilheira Blanca mostrava que existiam 723 geleiras, e o que vamos publicar agora nos mostrará quantas destas geleiras desapareceram", indicou.   Zapata também revelou à "Andina" que há três semanas um grupo de especialistas da Universidade de Ohio (Estados Unidos), do Inrena e do Centro de Ciências Geográficas do Canadá conseguiu fazer a avaliação da topografia e morfologias das áreas de geleiras da Cordilheira Blanca.   O Peru tem mais de 1.700 geleiras, localizadas principalmente nessa cordilheira, uma cadeia montanhosa que divide a costa norte da floresta amazônica de uma área de 340.000 hectares onde estão os picos mais altos e com mais neve do país.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalperu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.