Coréia do Sul propõe mecanismo de controle de metas de CO2

Proposta quebraria impasse de negociação criando nova categoria de países comprometidos a cortar emissões

AP

26 de setembro de 2008 | 16h49

A Coréia do Sul propôs uma nova maneira para os países em desenvolvimento se comprometerem com a redução das emissões de carbono e com a luta contra o aquecimento global.  O embaixador para o clima coreano e negociador-chefe do país, Rae-Kwon Chung, sugeriu que países como a China e a Índia registrem suas políticas domésticas de controle do carbono em um livro internacional. Embora o registro venha a ser voluntário, ele representaria um comprometimento que poderia ser monitorado e verificado.  Hoje, apenas 37 países têm metas de redução de emissões de carbono, enquanto outros - incluindo a China e a Índia - não têm obrigações.  Chung disse que a proposta, apresentada em uma conferência nesta sexta-feira, 26, quebraria o impasse de negociação criando uma nova categoria de países comprometidos na luta contra a mudança climática.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.