Corpo de Chorão será velado em ginásio em Santos

Alexandre Magno Abrão, de 42 anos, da banda Charlie Brown Jr, foi encontrado morto em seu apartamento, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira

Zuleide Barros, O Estado de S. Paulo

06 Março 2013 | 13h24

Atualizado às 15h49

SANTOS - O corpo do vocalista Alexandre Magno Abrão, o Chorão, da banda Charlie Brown Jr, encontrado morto nesta quarta-feira, 6, em seu apartamento, em São Paulo, será velado no ginásio esportivo Arena Santos, em Santos, no litoral paulista. Desde que a notícia da morte do cantor chegou à cidade, a prefeitura disponibilizou o espaço para que os fãs possam homenagear o líder do grupo. O Santos Futebol Clube chegou a oferecer o salão de mármore para a homenagem, mas a família de Chorão já havia confirmado a utilização do ginásio esportivo que, antes do início da tarde, já começava a ser preparado para o velório. O local fica na Avenida Rangel Pestana, na Vila Mathias.

A expectativa dos organizadores do espaço é de que o corpo chegue por volta das 19h a Santos. Antes de o velório ser aberto ao público, o local ficará fechado por uma hora para que a família do vocalista possa reverenciá-lo. Ainda não foi confirmado se o corpo será cremado, conforme desejo do cantor. Em caso de cremação, a cerimônia deverá ocorrer no Memorial Necrópole Ecumênica, que fica localizado no sopé do Morro do Marapé. Nenhum contato foi feito com o cemitério com o objetivo de agendar o sepultamento.

Comoção. Em toda a Baixada Santista o clima era de comoção com a notícia da morte prematura do vocalista, que tinha muitos fãs na região. Em um lugar, em especial, no Chorão Skate Park, uma pista de skate construída por Chorão, na Vila Mathias, muitos roqueiros e skatistas compareceram na manhã de ontem, a fim de obter informações sobre o velório e enterro do ídolo. Na Praça Palmares, reduto de skatistas e onde a administração municipal instalou uma pista de skate, o clima era de muita tristeza. Alguns skatistas lembravam das visitas constantes de Chorão ao local. "Apesar de ser um ídolo, conhecido nacionalmente, ele era uma pessoa igual com tudo mundo", afirmava um dos frequentadores da praça, que não escondia as lágrimas ao falar do líder do Charlie Brown Jr.

Chorão nasceu em São Paulo, mas se mudou para Santos aos 17 anos, em 1987, quando já era um aficionado por skate. O apelido ele recebeu dos companheiros que praticavam o esporte com ele, uma vez que chorava quando levava um tombo nas manobras do skate. Em 1992, fundou e batizou a banda, que se encontrava de férias e retornaria aos palcos no próximo dia 22, com um show marcado para Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre:
chorão velório morte apartamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.