Cosmonautas russos da ISS farão reparos em nave Soyuz

Eixo cilíndrico será retirado durante caminhada espacial para aterrissagem mais segura

Efe

01 de julho de 2008 | 20h03

Os cosmonautas russos da Estação Espacial Internacional (ISS) vão retirar durante caminhada espacial um eixo cilíndrico da Soyuz TMA-12 que supostamente causou as aterrissagens balísticas das duas naves anteriores, informou hoje um porta-voz do setor aeroespacial russo. "Os cosmonautas examinarão a Soyuz para detectar possíveis danos, separarão a camada superior do revestimento da nave que protege a fechadura com os eixos cilíndricos", disse a fonte citada pela agência Interfax. Os eixos cilíndricos têm a função de separar a cápsula de desacoplamento do cargueiro no momento de sua entrada na atmosfera. Segundo o porta-voz, a explosão do eixo número cinco foi a causa da queda livre da Soyuz TMA-10 em outubro de 2007 e da Soyuz TMA-11, em abril deste ano. Para evitar outro problema semelhante, os cosmonautas realizarão na madrugada do dia 10 uma corrida especial não programada para examinar a Soyuz TMA-12, que está acoplada à ISS e na qual voltarão à Terra em outubro. Essa será a primeira caminhada espacial dos russos Sergei Volkov e Oleg Kononenko e terá a duração de seis horas. O americano Gregory Chamitoff, terceiro tripulante da ISS, supervisionará o trabalho de seus companheiros do interior da plataforma. A segunda missão de Volkov e Kononenko será instalar na superfície da ISS um porto para o acoplamento de um pequeno módulo de pesquisa que deve ser enviado à plataforma em 2009. "A aterrissagem balística traz uma sobrecarga pouco agradável para a tripulação, mas está dentro das formas de pouso previstas", disse o diretor do departamento de vôos tripulados da Agência Espacial Federal Russa, Alexei Krasnov.

Tudo o que sabemos sobre:
espaçociênciaISS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.