Crença sobre poder de ovos ameaça tartarugas

A crença de que os ovos de tartaruga marinha têm poderes afrodisíacos põe em perigo, todos os anos, o processo reprodutivo de mais de 1 milhão de animais que chegam ao litoral do México para desovar.Mercados, barracas de rua e até restaurantes oferecem clandestinamente os ovos e a carne de tartaruga, cujo tráfico com fins comerciais é punido no México como crime grave desde 2002.Os poderes atribuídos aos ovos de tartaruga "são um falso mito urbano sem nenhuma base científica", garante Luis Fueyo, diretor de Inspeção de Recursos Marítimos da Procuradoria Federal de Proteção Ambiental (Profepa).O consumo deste produto começou há mais de mil anos, quando fazia parte da dieta alimentar dos índios zapotecas e de outras etnias, que não atribuíam poderes extraordinários ao alimento, além dos meramente nutritivos.No litoral mexicano estão contabilizadas 144 praias nas quais habitam seis espécies de tartarugas que, em um ritual ancestral, retornam todo ano ao mesmo lugar onde nasceram. Embora cada ninho possa ter mais de cem ovos, calcula-se que apenas uma em cada mil tartarugas que chegam à água alcançam a idade adulta.As praias do Estado de Oaxaca e de Guerrero, no Pacífico, recebem todo ano quase 1 milhão de tartarugas da espécie oliva, a mais comum no México e da qual procedem 90% dos ovos.Para conter a comercialização deste produto, o governo mexicano estabeleceu patrulhas nas principais praias, que são vigiadas por 500 efetivos da Profepa, da Agência de Investigação Federal, da Marinha e das polícias locais.Neste ano, diversos organismos civis, como o Wildcoast, o Fundo de Conservação da Natureza e o Wallace Research Foundation, lançaram uma polêmica campanha gráfica na qual uma bela modelo em atitude provocativa garante que "seu homem" não precisa de ovos de tartaruga.Segundo Fueyo, estes esforços, junto com o novo regulamento penal, já deram resultados, reduzindo o número de exemplares confiscados. Enquanto em 1998 foram interceptadas cargas que transportavam até 600 mil ovos de tartaruga, neste ano a quantidade confiscada não superou os 20 mil ovos.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2005 | 12h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.