Crises ambientais criarão 50 milhões de refugiados em 2010

A ONU calcula que, dentro de cinco anos, 50 milhões de pessoas estarão na condição de refugiadas por conta de problemas ambientais nas regiões onde vivem. Um estudo da Universidade das Nações Unidas (UNU) estima que hoje em dia já existem tantos ?refugiados ambientais? quanto pessoas que são forçadas a deixar suas casas por causa de distúrbios políticos ou sociais.Entre os problemas ambientais que transformam as pessoas em refugiados estão o esgotamento do solo, a desertificação, enchentes e outros desastres naturais. A UNU afirma que é preciso criar mecanismos para que estas pessoas recebam proteção adequada, e que está na hora de criar uma definição legal para o conceito de refugiados ambientais.Uma convenção adotada pela ONU em 1951 sobre assunto define refugiados como uma pessoa que teme ?ser perseguida por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas? e ?se encontra fora do país de sua nacionalidade?. ?Nós precisamos definir o que queremos dizer com refugiados políticos, econômicos e ambientais?, disse o reitor da UNU, Han van Ginkel, à BBC.?Se definirmos o problema melhor, podemos nos preparar para o nível de necessidades que precisam ser supridas?, afirmou. Outro problema é que, historicamente, pessoas só são consideradas refugiadas caso tenham de deixar o país onde vivem. Mas desastres como o furacão Katrina mostraram de forma clara que muita gente que tem de deixar suas casas por conta de desastres naturais permanece no país onde vive.

Agencia Estado,

11 de outubro de 2005 | 15h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.